STB - Student Travel Bureau

Escolha o intercâmbio de sua preferência:

Tudo para sua viagem
 

As escolas de inglês em Toronto

Publicado em Viajante STB | 15 de junho de 2015 | 11:25 por Raíra Venturieri

header_580x103

be1

Oi pessoal,

Assim como fiz com Vancouver e Montreal, reservei um dia aqui pra contar pra vocês sobre as escolas de inglês que visitei em Toronto. Porque tão importante quanto escolher o destino do seu intercâmbio é estudar em uma escola com seu perfil. Então vamos lá: qual dessas tem a sua cara?

EC

A EC em Toronto segue o mesmo padrão das outras cidades: decoração fofa laranja e branca e tudo bem novinho. É ótima pra você que, como eu, faz questão de um ambiente moderninho e clean. Mas além do rostinho bonito, a EC tem lousa digital em todas as salas, professores certificados pelo CELTA (muitos deles estudaram lá mesmo!) e atmosfera bem jovem e animada. Eles elegem até “ambassadors” entre os alunos pra ajudar na organização das atividades extracurriculares – tem um muralzinho na parede com fotos de todos eles e parece que contribui muito pro desenvolvimento do speaking! Mas não é só festa não: a escola também tem programas acadêmicos, preparatórios para exames e business english, como manda o figurino.

be2

be3

be4

ELS

Quer levar seu estudo muito a sério, mesmo? Então considere a ELS, escola conhecida por ter um ensino mais puxado: lições de casa, professores exigentes, laboratório para reforçar “fraquezas” identificadas pelo professor… Sair daqui sem evoluir muito é impossível! Além do acadêmico forte, a escola tem material didático próprio e diversas regrinhas para reforçar o aprendizado, como a política de english only na qual quem falar outro idioma dentro da escola paga uma multa de US$ 5. Isso aí! Por isso, há muita procura para cursos preparatórios para exames e business english.

be5

be6

be7

Eurocentres

Gente, a Eurocentres é MUITO FOFINHA! Em todas as cidades em que visitei a escola senti um clima muito acolhedor, e aqui até os diretores são acessíveis e solícitos. Acho que é uma ótima escolha pra quem viaja um pouco mais inseguro, e faz questão de um acompanhamento próximo e atencioso. A unidade de Toronto tem a mesma estrutura que em Vancouver, com cadeirinhas coloridas nas salas e recepção com sofás e espaço de convívio. O prédio não é tão novinho quanto o de Vancouver, mas super bem cuidado. Além dos programas básicos de inglês, a escola também oferece preparatório para exames como o IELTS e ainda o curso CELTA, para a certificação de professores de inglês.

be8

be9

be10

ILSC

A ILSC tem dois campi em Toronto, cada um com um foco diferente. Em um deles, são realizadas as aulas dos programas de comunicação e criatividade, como English for Social Media (Inglês para Mídias Sociais) e English Through Comedy (Inglês através da Comédia). Uma forma muito legal de manter o interesse na aula e, assim, se dedicar mais! No segundo campus, mais silencioso, as aulas têm foco acadêmico, como o preparatório para IELTS. Inclusive, o exame pode ser feito lá mesmo, nessa unidade. O legal da ILSC é essa possibilidade de customizar o programa, mesclando aulas de acordo com seu interesse ou necessidade.

be11

be12

be13

Kaplan

A Kaplan é divertida! Se eu já tinha me surpreendido com o concurso de selfies que estava rolando na Kaplan de Vancouver, aqui a coisa foi ainda mais legal: a escola organizou uma caça ao tesouro pra mostrar suas dependências pro #STBTeam, na qual tínhamos missões como “tirar foto com um professor certificado pelo Cambridge” e “pegar dicas em Toronto com o Activities Manager”. Foi muito legal e deu uma ideia da metodologia da escola, que sempre “pensa fora da caixa”. Também tivemos uma aula-modelo super interativa com a lousa digital. Alunos extrovertidos e independentes são os que mais aproveitam a Kaplan, pois se envolvem nas atividades extracurriculares, como os K+ Clubs, e exploram as ferramentas online da escola, as K+ Tools. Eu adoro!

be14

be15

be16

Deu pra perceber que as escolas são muito diferentes entre si, né? Por isso que é importante se informar bem antes de fechar seu intercâmbio, já que a escolha é muito pessoal, e o que serve pra uma pessoa pode não ser a melhor opção pra você. Como fazer a escolha certa? Conversando com quem conhece, é claro! Então, com as dicas acima em mente, fale com um consultor STB e defina qual é a escola perfeita pra você. E depois, boa viagem!

Beijos!


Como é o passeio em Niagara Falls

Publicado em Viajante STB | 03 de junho de 2015 | 19:16 por Raíra Venturieri

header_580x103

niagara1

Olá!

Hoje o tema é delicioso: vou falar sobre nosso passeio para Niagara Falls! As famosas cataratas ficam a menos de duas horas de Toronto, em um tour delicioso!

As falls são compostas por três quedas: a gigante Horseshoe (dividida entre Canadá e EUA), em forma de ferradura e com quase 800 m de extensão; e as retilíneas American Falls e Bridal Veil, que totalizam 323m de extensão. Você consegue ver tudo do mirante canadense ao longo da avenida, que dá vista do lado oposto às quedas e chega até bem pertinho da base da Horseshoe. Caminhe por toda a extensão desse mirante até a maior queda, a vista ali é incrível!

Ah, você reparou que eu falei em avenida? Se você conhece as Cataratas de Iguaçu, no Paraná, não espere encontrar algo parecido. As Niagara Falls são lindas e imponentes, mas super integradas à cidade. Ver uma avenida enorme passando logo ao lado dos mirantes foi algo que me causou um estranhamento de cara – mas que foi amenizado quando me diverti curtindo a vista das quedas do alto de uma roda-gigante! Hahaha, ter uma cidade do lado é diferente, mas pode ser muito divertido.

niagara2
Foto: Eu e as meninas do STB Team na avenida-mirante

A roda-gigante tem uma vista bonita pras quedas, e é bem legal para ir a dois, mas a melhor observação de todas é do alto da Skylon Tower, a 160 m do chão e 236 m da base das cataratas. Se você quiser fazer aqueeela foto aérea (essa aí de baixo), não deixe de subir!

niagara3

Há alguns passeios legais que interagem com as quedas, como os barquinhos que você contrata na hora e te levam até bem pertinho. Mas vá preparado para se molhar, porque a capinha de chuva que eles dão não adianta lá muita coisa! Talvez por isso, esse passeio só seja realizado nos dias mais quentes, entre a primavera e o outono. Quando eu fui, infelizmente, não estavam fazendo o tour (tava frio!).

Comida e compras

De resto, a diversão é curtir as lojinhas e restaurantes da Clifton Hill, uma rua que é quase uma mini-Vegas. Tem a tal roda-gigante (Niagara Skywheel) e também museu de cera, minigolfe, lojas de souvenir, restaurantes temáticos… Very american! E, se quiser aproveitar o passeio pra fazer umas comprinhas, dá pra ir de carro ou ônibus até o Outlet Collection at Niagara – um outlet gigantão do jeito que a gente gosta, com marcas como Calvin Klein, Lacoste, Michael Kors, Kate Spade e Nike.

Quer mais? Pois o tour de Toronto até as Cataratas costuma ter duas paradas antes: em Niagara-on-the-Lake, um vilarejo super charmosinho com casario antigo, lojas e restaurantes; e em uma vinícola para conhecer (e degustar!) o vinho típico da região, de sobremesa, feito com a uva niagara. Eu visitei a Konzelmann State Winery, onde fiz um tour para conhecer o processo de produção e degustei quatro tipos diferentes de vinho, inclusive um com pêssego! Há lojinha por lá, pra quem quiser levar o tradicionalíssimo vinho pra presentear.

niagara4
Foto: A charmosa cidade de Niagara-on-the-Lake

niagara5
Foto: Degustação de vinhos na Konzelmann (chique!)

E aí, gostaram? Tem muita coisa pra fazer em Niagara, e acho que agrada desde quem busca natureza até quem quer de saber de compras e entretenimento. Eu amo tudo isso (hahaha), por isso voltaria várias vezes se estudasse em Toronto! Gostou da ideia de morar ali pertinho? Então no próximo post vou falar sobre as escolas que conheci na cidade. Beijo!

Todas as fotos desse post são do Paulo del Valle.


A cultura efervescente de Toronto

Publicado em Viajante STB | 01 de junho de 2015 | 16:35 por Raíra Venturieri

header_580x103
toronto1
Interagindo com o fotógrafo no topo da CN Tower. Foto: Paulo Del Valle

Oi, pessoal!

A última cidade que visitei no Canadá é também a maior: Toronto tem mais de seis milhões de habitantes e tudo que a gente espera de uma metrópole. Em outras palavras: prédios enormes, vida noturna agitada, infinitas opções de restaurantes, atmosfera mais globalizada… Toronto tem quase o pézinho em Nova York, e isso já diz muito sobre a cidade, né? Inclusive, muita gente escolhe fazer intercâmbio aqui pela proximidade com a Big Apple (1h30 de avião só!), mas em uma cidade mais barata e segura.

Quando comparam com o Brasil, dizem que Vancouver equivale ao Rio de Janeiro e Toronto, a São Paulo. Até entendo a comparação natureza x urbano, mas não acho muito justo. Até porque Toronto tem natureza, sim: é banhada pelo imenso Lake Ontario e há até ilhas artificiais na orla, onde você pode curtir o parque ou uma prainha. É da Central Island, inclusive, que as pessoas fazem aquela foto do skyline de Toronto com a CN Tower refletida na água. Tem que ir!

A torre

toronto2
A vista noturna do topo da CN Tower, pelas lentes de Paulo Del Valle

Falando em CN Tower, é ela mesma a principal atração turística da cidade. E não é pra menos, tá? Com 553 metros de altura, é a torre mais alta do ocidente! A vista lá de cima é espetacular, tanto de dia quanto à noite, quando as luzes da cidade formam essa paisagem iluminada da foto que é uma das coisas mais lindas que já vi! Lá no topo há dois restaurantes, o Horizons e o 360. Tive a oportunidade de jantar no 360, o mais chique, que gira lentamente pra que você possa ver a cidade de todos os ângulos sem sair do lugar. É um pouco caro, mas se você fizer reserva, não precisa pagar o ingresso pra subir na torre – e só aí já economiza CAD 32 por pessoa. Acho que vale a pena!

toronto3
STB Team e parceiros jantando no 360, na CN Tower. Eram 19h!

Arte em Toronto

Outro benefício de cidade grande que você encontra em Toronto é a riqueza cultural de seus museus e distritos artsy. Estou falando de três lugares especificamente: o Royal Ontario Museum, a Art Gallery of Ontario e o Distillery District. Explico.

toronto4
A fachada maluca do ROM já é uma atração por si só. Foto: iStock

O Royal Ontario Museum, ou ROM, é um dos maiores museus da América do Norte. Vale já pela fachada, uma mistura de obra modernosa sobre um prédio histórico, bem interessante. Lá dentro, você encontra desde artefatos do Egito antigo até uma incrível coleção de esqueletos de dinossauros. Eu amei! Já a Art Gallery of Ontario tem um acervo super diversificado, com obras da cultura esquimó (do Norte do Canadá), por exemplo, ao lado de artistas como Monet e Picasso.

toronto5
Os galpões do Distillery District abrigam lojas, galerias e restaurantes. Foto: Paulo Del Valle

O Distillery District, por sua vez, é um bairro sensacional! Depois que a gigantesca destilaria Gooderham and Worts encerrou suas operações, em 1990, a região industrial precisou se reinventar. A solução foi converter os enormes galpões em uma vila só para pedestres, dedicada a arte, cultura e entretenimento. Há mais de 70 lojas de designers locais, galerias, bares e restaurantes, muitos deles lindos como o El Catrin. Dei de cara com esse mexicano por acaso, e fiquei encantada com o pátio aberto com enormes lustres amarelos e fogueira no meio. A comida é deliciosa, os drinks mais ainda e foi lindo!

toronto6
O restaurante El Catrin, um achado no Distillery District. Foto: Paulo Del Valle

Outro lugar que amei conhecer na cidade foi o The Drake Hotel, que é tão hype que conseguiu revitalizar toda aquela região, hoje super moderninha! Sua General Store é superbacana, tanto que já ganhou outros dois endereços na cidade (uma lojinha de hotel, imagine!), com roupas, acessórios, livros e objetos pra casa. E o bar do hotel vira uma baladinha divertidíssima à noite, se utilizando do porão e do terraço do edifício. É só pra maiores de 19 anos, então, se for seu caso, corra lá e leve o passaporte!

toronto7
A CN Tower e o Rogers Centre iluminados à noite. Foto: Paulo Del Valle

Bom, esse é um resuminho da minha experiência em Toronto. Bem “big city”, né? Skyline, restaurantes, arte e vida noturna. Se você curte um agito e atrações 24h, amiiigo, Toronto é sua cidade. Mas, já falei: se prefere natureza, também não vá excluir de cara essa gigante canadense. Até porque, além do Lake Ontario, há outra pequenina atração natural a duas horinhas ali – uma tal de Niagara Falls. Eu, que não sou boba, fui conhecer as cataratas – e (adivinha!) conto tudo no próximo post. Até lá!


As escolas bilíngues de Montreal

Publicado em Viajante STB | 27 de maio de 2015 | 13:17 por Raíra Venturieri

header_580x103

mont1

Oi gente!

Voltei pra falar do que interessa: as escolas de inglês e francês de Montreal! Porque eu sei que você adorou a possibilidade de estudar os dois idiomas nessa cidade linda! hahaha

Quando estive lá, visitei duas escolas bem diferentes: a EC e a ILSC. Se você viu o post sobre as escolas de Vancouver, já sabe mais ou menos o que esperar de cada uma delas. Abaixo, segue um breve descritivo das minhas impressões. Ilustrado com fotos do @paulodelvalle!

EC Montreal

A EC aqui segue o mesmo padrão da rede: estrutura super novinha, decoração branca e laranja, lousas digitais nas salas e staff jovem. O grande diferencial da unidade é mesmo o programa bilíngue, em que você pode estudar inglês e francês ao mesmo tempo. Isso não ocorre nas outras ECs do Canadá (Vancouver e Toronto). Outra coisa que achei bem legal na EC Montreal é que eles organizam atividades temáticas todos os meses para os alunos. Por exemplo, agora quando fui, o tema era gastronomia – e havia festas, grupos de discussões e passeios ligados ao assunto. No mês anterior, havia sido fitness. Educativo e divertido, né? Pra completar, a escola fica localizada na Saint Catherine, rua cheia de lojas e restaurantes legais!

mont2

mont3

mont4

ILSC Montreal

A primeira diferença crucial entre as escolas é a localização: enquanto a EC fica na parte moderna da cidade, a ILSC fica em Old Montreal, a curta caminhada do porto, da Catedral Notre-Dame e dos prédios históricos. O próprio prédio da escola é lindo, superantiguinho, um contraste com o interior moderno. A ILSC também oferece cursos bilíngues e é a única lá com programa da CELTA, para certificação de professores de inglês. E ainda tem as aulas divertidas do Creative and Cultural Program, em que você pode optar por disciplinas como “English Through Photography” e “French Through Fashion”. Assim fica mais interessante!

mont5

mont6

mont7

E aí, gostou de alguma? Fale com seu consultor STB, que pode te dar muito mais informações!

No próximo post, eu começo a compartilhar com vocês a minha experiência em Toronto, a maior cidade do Canadá. Volta aqui pra ver!